Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
A Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação das crianças e adolescentes menores de 15 anos
02/10/2021 10:52 em Governo

A Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação das crianças e adolescentes menores de 15 anos

As ações têm como objetivo oportunizar o acesso às vacinas, atualizar a carteira de vacinação, e consequentemente, aumentar as coberturas vacinais e homogeneidade e diminuir a incidência, contribuindo para o controle, eliminação e/ou erradicação das doenças imunopreveníveis nas crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade.

Dia "V": 16/10/2021 (Sábado de Mobilização Nacional) todas as Unidades de Saúde estarão abertas das 8 as 17h.

População alvo: crianças e adolescentes menores de 15 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias) não vacinada ou com esquemas incompletos, de acordo com o Calendário de vacinação.

Cobertura vacinal no estado de São Paulo

Nessa Campanha de Multivacinação tem-se a oportunidade de melhorar as coberturas vacinais de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade. Entre os anos de 2014 e 2015, as coberturas vacinais (CV) eram superiores a 95%, e as metas preconizadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) de coberturas vacinais iguais ou maiores que 95% eram atingidas. A partir do ano de 2016/2017, foi implantado em todo o estado de São Paulo um novo Sistema de Avaliação das Coberturas Vacinais, o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI), desenvolvido pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DataSUS). Com esse novo sistema de informação tivemos a possibilidade da informação nominal, com a entrada de dados individuais e por procedência, permitindo o registro do histórico vacinal, acompanhamento e adequações do esquema vacinal e a localização da pessoa a ser vacinada, por meio dos seus dados cadastrais. O novo Sistema de Informação começou a ser implantado no estado de São Paulo nos anos de 2016-2017, e desde então observa-se uma queda nas CV. De modo geral, todo Sistema de Informação na sua fase de implantação necessita de treinamento das equipes das salas de vacinas, de adequações e ajustes para que os relatórios realmente expressem as coberturas vacinais das vacinas do calendário básico de cada um dos 645 municípios do estado de São PauloVários são os fatores que podem estar interferindo nas CV no estado de São Paulo.

A situação é complexa e muitos fatores podem estar contribuindo para a queda das CV: - percepção enganosa de parte da população que as doenças desapareceram;

- desconhecimento de quais vacinas fazem parte do Calendário de vacinação;

- medo da “reação pós-vacina”;

- receio que o número elevado de vacinas “sobrecarreguem” os sistema imunológico;

- falta de tempo dos pais para levar ao posto de vacinação para atualização do esquema vacinal;

- “fake news” de que as vacinas não são seguras e não protegem adequadamente as pessoas vacinadas;

- falsa sensação de segurança, pois muitas doenças imunopreveníveis já não ocorrem devido as elevadas CV;

-falsas informações sobre as vacinas como a ausência de efetividade e eventos adversos;

- com a pandemia pelo Coronavírus, muitas crianças deixaram que comparecer nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para serem vacinadas;

- alterações nos sistemas de informação, necessitando de capacitações, adequações de tecnologia de informação e ajustes necessários para a transmissão de dados municipais;

COMENTÁRIOS
AdSense
rodape primavera